Quem foi Josué de Castro?

Dentre tantas contribuições do professor Josué de Castro ao desenvolvimento político-científico brasileiro destaca-se seu decisivo envolvimento na criação das primeiras instituições vinculadas à ações públicas na área de alimentação e nutrição no país, dentre os quais o Instituto de Nutrição da universidade do Brasil, o INUB.

Durante os anos que dirigiu o então INUB, no período de 1946 a 1954, a instituição sofreu forte influência do trabalho e prestígio de seu fundador. Durante sua gestão, o INUB notabilizou-se pelos estudos na área de alimentação e nutrição, tanto em nível experimental mas, em especial, do ponto de vista epidemiológico e sociológico, marcas registradas do trabalho de Josué de Castro. Sendo um dos primeiros pesquisadores a dedicar-se ao estudo dos problemas nutricionais no Brasil, sua equipe de trabalho deixou importante legado ao desenvolvimento da ciência da nutrição e da profissão de nutricionista no país.

O INUB foi, nas décadas de 40 a 60 do século passado, sede editorial dos Arquivos Brasileiros de Nutrição, primeira revista científica nacional, na área de Nutrição, na qual Castro e sua equipe publicaram os primeiros manuscritos produzidos, no meio acadêmico, nesta área do conhecimento. As páginas desta já extinta revista foram condutoras de importantes campanhas e estudos em Nutrição, como por exemplo, a que resultou na estratégia de iodetação do sal refinado, adotada pelas autoridades de saúde brasileiras como profilaxia do bócio endêmico, ação de combate à deficiência de iodo, mantida até os dias de hoje, na Política Nacional de Alimentação e Nutrição no Brasil.

Não seria equivocado afirmar que a escola brasileira de Nutrição, entendida como a institucionalização acadêmica do estudo dos problemas nutricionais brasileiros, teve suas origens no INUB, durante o período em que Josué de Castro integrou seu corpo docente.

Em 1996, por ocasião das festividades pela passagem dos 50 anos de existência da instituição, o Instituto de Nutrição incorporou o nome de seu patrono passando a chamar-se Instituto de Nutrição Josué de Castro-INJC, da Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ.

Em 2003, ao completar 30 anos de sua morte, outorga-lhe o Conselho Universitário da UFRJ o título honoris causa, in memorian, recebido em nome de sua família, pela filha Anna Maria de Castro, incansável na preservação da memória do brasileiro considerado como uma das figuras mundiais mais ilustres do século XX.

O ano de 2008 marcou as comemorações do centenário de nascimento de Josué de Castro, cuja história e exemplo de vida emocionam as gerações que lhe sucederam.

O resgate de sua memória e o reconhecimento de seu papel como inspirador dos conceitos que fundamentam a luta pelo direito humano à alimentação adequada o tornaram, patrono do Conselho Nacional de Segurança Alimentar- CONSEA e de outros movimentos sociais organizados. Sua obra e trabalho também foram reverenciados por ocasião do lançamento do programa Fome Zero do governo federal. “Todo brasileiro tem direito a 3 refeições por dia”, proferiu à época, o então presidente da república Luis Inácio Lula da Silva, confesso admirador da vida e obra de Josué de Castro.

Em 2010, foi institucionalizado o projeto Centro de Memória e Estudos Josué de Castro- CEMJC, com o objetivo, por meio de algumas iniciativas como o museu virtual Josué de Castro, de resgatar a memória do patrono do INJC, da própria instituição e da profissão de nutricionista, permitindo, inicialmente, a recuperação e conservação do acervo histórico institucional. Oportunamente, pretende- se disponibilizar o acervo para consulta bibliográfica e visitação para o público universitário, estudantes de nível fundamental e médio e para o público em geral, disseminando a vida e obra de Josué de Castro para as novas gerações e tornando pública a história da profissão e da instituição na geração de conhecimentos e na formação na área de Nutrição. Pretende-se, também, que o CEMJC venha integrar o circuito de centros de memória e espaços museológicos da UFRJ, proporcionando aos usuários estudar e conhecer um pouco da história das unidades acadêmicas da UFRJ, de seus fundadores e da própria constituição de nossa Universidade.

O projeto CEMJC representa a reafirmação do compromisso do INJC em cultuar a memória de seu patrono, cidadão brasileiro e do mundo. Uma justa reverência ao brasileiro, médico, escritor, sociólogo, antropólogo, cientista social, filósofo, poeta, humanista que, no início do século passado, desenvolveu estudos interdisciplinares sobre o fenômeno da fome, defesa ao direito à alimentação adequada, associados a reflexões sobre a Paz, o desenvolvimento sustentável e a proteção ao meio ambiente, temas ainda tão contemporâneos nos dias de hoje e que fundamentam as políticas e ações de segurança alimentar e nutricional.

 

 

Profa Elizabeth Accioly Docente e diretora do INJC,

gestão 2006-2010 Coordenadora do projeto CEMJC.

 

Biografia de Josué de Castro por Anna Maria de Castro

(socióloga, filha de Josué de Castro)

 

"Josué Apolônio de Castro nasceu na casa número 1 da Rua Joaquim Nabuco, no dia 5 de setembro de 1908, final da primeira década do século XX, na cidade do Recife, Pernambuco. "Não sei porque me chamo Josué. Talvez porque meu pai era místico, ledor da Bíblia. Sou filho de Manoel Apolônio de Castro e de Josefa Carneiro de Castro. Meu pai era homem pobre, da Paraíba, Cabaceiras, o lugar mais seco do Nordeste. Mamãe era professora".

 

Leia do texto na Íntegra...

 

 

 

 

 

 

logoInjcLinkLateralminerva2sigprojouvidoriaacessoainformaomemorias

UFRJ Museu Josué de Castro - Nutrição
Desenvolvido por: TIC/UFRJ