Obra e Legado de Josué de Castro

 

Nascido em Recife em 1908, Josué de Castro formou-se em medicina em 1929. Em 1932 lançou o livro O Problema Fisiológico da Alimentação e realizou uma pesquisa sobre condições de vida do operariado pernambucano. Partindo da fisiologia, seus livros passaram a incorporar a sociologia na análise de problemas alimentares.

Na década de 1930, Castro lecionou fisiologia, geografia humana e antropologia, no Recife e no Rio de Janeiro. Nos anos 1940, ensinou geografia humana na Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil e dirigiu os primeiros órgãos brasileiros de nutrição, por ele idealizados: Serviço de Alimentação da Previdência Social (1940); Serviço Técnico da Alimentação Nacional (1942); Instituto de Tecnologia Alimentar (1945); Comissão Nacional de Alimentação (órgão máximo consultivo de políticas alimentares, criado em 1945 e dirigido por Castro até 1954).

Em 1946 fundou o Instituto de Nutrição da universidade do Brasil, hoje denominado Instituto de Nutrição Josué de Castro da Universidade Federal do Rio de Janeiro (INJC/UFRJ). Nesse mesmo ano de 1946 publicou seu livro de maior repercussão, Geografia da Fome. Em 1947 ingressou no Comitê Permanente de Nutrição da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Nos anos 1950 participou da Comissão Nacional de Política Agrária, foi vice-presidente da Comissão Nacional de Bem-Estar Social e deputado federal por Pernambuco, publicando em 1951 Geopolítica da Fome – livro prefaciado pelo Prêmio Nobel da Paz e presidente da FAO John Boyd Orr, e premiado pela Academia de Ciências Políticas dos Estados Unidos. Presidiu o Conselho Executivo da FAO entre 1952 e 1956. Em 1954 recebeu o Prêmio Internacional da Paz. Em 1962 foi nomeado embaixador brasileiro junto às Nações Unidas. Cassado em 1964, exilou- se e passou a lecionar em Paris. Faleceu em 1973, aos 65 anos, deprimido pelo exílio (Castro, 2007). Manteve sempre uma elevada produção escrita e atuação em cargos nacionais e internacionais de nutrição, as quais o inseriram no discurso global de alimentação/saúde internacional e na tradição intelectual de diagnóstico e proposição de mudanças dos problemas nacionais (pensamento social e político brasileiro). De maneira geral, considerava a fome uma característica histórica e amoral do brasileiro, decorrente de erros sociais e econômicos (como a baixa renda e a monocultura latifundiária) e de um Estado ineficiente. Em sua concepção, a fome seria o principal determinante dos males e subdesenvolvimento nacionais (gerando doença, inferiorização física, improdutividade, mais fome). Defendia que a alimentação da população fosse uma prioridade absoluta, e promovida com reformas estruturais conjugadas a institucionalização política, científica e acadêmica da nutrição.

As ideias e proposições de Josué de Castro repercutiram amplamente no país e no exterior, deixando um legado inestimável para as tradições científicas da nutrição brasileira, para as reflexões sobre o Brasil e para as futuras gerações empenhadas na organização de políticas nacionais e internacionais de combate à fome e de elevação da dignidade de todos os povos.

Cronologia dos principais eventos da trajetória de Josué de Castro:

• Nasce em Recife, 1908.

• Forma-se em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, 1929.

• Torna-se livre-docente de fisiologia da Faculdade de Medicina do Recife, 1932.

• Publica O Problema Fisiológico da Alimentação no Brasil, 1932 (republicado em 1933 como O Problema da Alimentação no Brasil).

• Leciona antropologia na Universidade do Distrito Federal, 1935-1938.

• Publica Condições de Vida das Classes Operárias do Recife, 1935 (pesquisa realizada em 1932).

• Publica Alimentação e Raça, 1935.

• Atua como catedrático de geografia humana da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais do Recife, 1933-1935.

• Publica o artigo Terapêutica Dietética do Diabete, 1936.

• Membro da Comissão de Inquérito para o Estudo da Alimentação do Povo Brasileiro, pelo Departamento Nacional de Saúde, 1936.

• Publica Documentário do Nordeste, 1937.

• Publica A Alimentação Brasileira à Luz da Geografia Humana, 1937.

• Agraciado com o Prêmio Pandiá Calógeras pela Associação Brasileira de Escritores, 1937.

• Publica Fisiologia dos Tabus, 1939.

• Publica Geografia Humana, 1939.

• Realiza, a convite do governo italiano, conferências nas Universidade de Roma e de Nápoles, 1939.

• Publica Alimentazione ed Acclimatazione Umana nei Tropici, 1939.

• Idealiza e dirige o Serviço Central de Alimentação do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários, 1939.

• O Serviço Central supra-citado é convertido no Serviço de Alimentação da Previdência Social, 1940. Josué de Castro é seu primeiro diretor.

• Catedrático de geografia humana da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, 1940-1964.

• Convidado para estudar problemas de alimentação e Nutrição nos seguintes países: Argentina, 1942; Estados Unidos, 1943; República Dominicana, 1945; México, 1945 e França, 1947.

• Idealiza e dirige o Serviço Técnico da Alimentação Nacional, 1942-1944.

• Preside a Sociedade Brasileira de Alimentação, 1942-1944.

• Idealiza e dirige o Instituto de Tecnologia Alimentar, 1945-1946.

• Preside a Comissão Nacional de Alimentação, órgão máximo de políticas alimentares do país, 1945-1954.

• Publica Geografia da Fome, 1946.

• Recebe o Prêmio José Veríssimo da Academia Brasileira de Letras, 1946.

• Publica La Alimentación en los Trópicos, 1946.

• Funda e dirige o Instituto de Nutrição da Universidade do Brasil, 1946-1954.

• Publica Fatores de Localização da Cidade do Recife, 1947.

• Torna-se membro do Comitê Consultivo Permanente de Nutrição da FAO, 1947.

• Publica Geopolítica da Fome, 1951.

• Preside o Conselho Executivo da FAO, 1952-1956.

• É agraciado com o Prêmio Roosevelt da Academia de Ciências Políticas dos Estados Unidos, 1952.

• Recebe a Grande Medalha da Cidade de Paris, 1953.

• Agraciado com o Prêmio Internacional da Paz, 1954.

• Publica Três Personagens: Einstein, Fleming, Roosevelt, 1955.

• Torna-se Oficial da Legião de Honra, França, 1955.

• Recebe a Grande Cruz do Mérito Médico Brasileiro, 1955.

• Publica A Cidade do Recife: Ensaio de Geografia Humana, 1956.

• Participa como membro de distintas Associações e Academias, no Brasil e noexterior.

• Eleito presidente do Comitê Governamental da Campanha da Luta contra a Fome, FAO, 1956.

• Deputado federal por Pernambuco, 1955-1962.

• Publica O Livro Negro da Fome, 1957.

• Publica Ensaios de Geografia Humana, 1957.

• Publica Ensaios de Biologia Social, 1957.

• Funda e preside a Associação Mundial de Luta Contra a Fome (ASCOFAM), 1957.

• Embaixador do Brasil junto aos órgãos da ONU em Genebra, 1962-1964.

• Tem os direitos políticos cassados pelo Ato Institucional no. 1 do governo militar, 1964.

• Exila-se em Paris, 1964-1973.

• Funda e preside o Centro Internacional para o Desenvolvimento, 1965-1973.

• Publica Sete Palmos de Terra e um Caixão, 1965.

• Publica Ensayos sobre el Sub-Desarrollo, 1965.

• Publica Adonde va la América Latina?, 1966.

• Publica Homens e Caranguejos, 1967.

• Publica A Explosão Demográfica e a Fome no Mundo, 1968.

• Recebe a Ordem de Andrés Bello, Venezuela, 1968.

• Leciona, como professor estrangeiro associado, no Centro Universitário Experimental de Vincennes, da Universidade de Paris, 1968-1973.

• Publica El Hambre: Problema Universal, 1969.

• Publica Latin American Radicalism, 1969.

• Preside a Associação Médica Internacional para o Estudo das Condições de Vida e Saúde, 1970.

• Publica A Estratégia do Desenvolvimento, 1971.

• Morre em Paris, aos 65 anos de idade, 1973.

logoInjcLinkLateralminerva2sigprojouvidoriaacessoainformaomemorias

UFRJ Museu Josué de Castro - Nutrição
Desenvolvido por: TIC/UFRJ